segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Meu primeiro namorado.



Desculpa demora pessoal, só agora tiver tempo de escrever.
Começando pelo principio, isso é obvio, mas quando eu digo principio não é como eu conheci ele, mas como eu me descobrir, acho tão cafona esse termo “me descobrir”, nunca estive perdido, correto seria, quando percebi pela primeira vez que era gay. Sempre fui um garotinho esperto, sabia muitas coisas, mas claro toda criança é ingênua, me lembro quando tinha 6 ou 7 anos, uma idade curiosa, gostava de ir para a casa da minha avó por parte de mãe, ia lá pelo menos uma vez na semana, eu tinha um amiguinho que morava na rua da casa da minha avó, toda vez que eu ia visitar ela ficava na porta esperando ele aparecer pra gente brinca, me lembro de ser bem pequeno naquela época, digo isso por que hoje tenho 1,80, brincávamos do “pega”, “se esconda”, brincadeiras inocentes, ele tinha a mesma idade que a minha.
Um dia eu entrei em baixo da mesa e ele entrou junto, ficamos conversando e eu falei:
Eu - Você já viu alguém pelado?
Ele - Já.
Eu - Serio! Você ta mentindo.
Ele – Não to não.
Eu – Então quem foi?
Ele – Uma prima minha.
Eu – legal, ela é bonita?
Ele – É bonita de montão.
Eu – Legal.
Talvez a conversa tenha sido em uma linguagem mais de criança, isso foi a muito tempo, só lembro do que foi dito, por que as vezes tem coisas que você nunca esquece, e isso é uma dessas coisas, quando dei por mim olha o que eu já estava falando.
Eu – Você já brincou de papai e mamãe?
Ele – como brinca disso?
Eu – Pai e mãe dormem junto na mesma cama, ai tem vezes que eles dormem pelados, ao a gente ia fingir que tava dormindo, mas sem o short (que garoto pervertido eu era... Sejamos sinceros, ainda sou).
Ele – Ta bom.
Eu abaixei meu short ate o joelho e ele também, deitei do lado dele (isso tudo em baixo da mesa) E fiquei esfregando meu pintinho no quadril dele.
Ele – nunca tinha visto outro pinto.
Eu – nem eu. (realmente nunca tinha visto)
Ele deitou e ficou esfregando um no outro, a gente não via maldade, eu particularmente estava achando engraçado, eu esfregando meu pintinho no dele, a gente dava uns risinhos.
Ate minha avó chegar e olhar por baixo da mesa.
Não me lembro muito bem o que ela falou, só me lembro que brigou muito, brigou tanto que sentir muita vergonha depois, me lembro esse sentimento, então pensei que para ela ter brigado tanto o que eu fiz só pode ter sido algo muito errado, meu amigo foi embora e nunca mais vi ele, minha avó nunca contou isso para minha mãe e nem pra mãe dele. Depois disso eu mesmo não queria ir pra casa da minha avó, estava envergonhado. Muito tempo se passou e todo mundo entra na puberdade e descobre sobre a vida, mas eu sempre soube muita coisa do assunto sexo, digamos que sexo pra mim nunca foi um Tabu. Na escola colocaram uma professora para dar aula de educação sexual, isso eu tinha 11 anos. Garotos e garotas quando tocam nesse assunto tem aquelas risadinhas típicas, lá a professora foi explicando, Apesar de saber muita coisa, nessas aulas aprofundei conhecimentos, com a vida mesmo, descobrir por que tanta briga da minha avó quando ela nos pegou em baixo da mesa nisso nunca mais tinha acontecido nada desse tipo comigo, essa historia era só uma lembrança quase esquecida na minha cabeça, só lembrava dela por causa da vergonha que minha avó me fez sentir. Nisso descobrir o que era ser gay, homem com homem. Percebi que apesar de tentar sentir por garotas, sentia o chamado desejo sexual por garotos, tendo a lembrança daquele fato sempre guardei isso pra mim. Tempo passou e passou, tava na oitava serie, nessa época e época de garotos só falarem de pegar as garotas, e garotas só de namora, esse assunto em si nem ligava muito, tinha meus amigos e eles não era chato com essas coisas. Sempre amei assistir filmes, adoro mesmo, meu irmão colocou na cabeça do meu pai pra gente abrir uma locadora, ate que meu pai acabou abrindo, fui trabalhar lá com meu irmão, ele ficava de manhã por que eu estudava de manha, e eu a tarde e a noite. Não reclamava por que eu adorava ficar lá, isso era no meio do ano, minha avó (aquela avó) tinha um salão vazio embaixo da casa dela, pegamos o salão pra montar a locadora, arrumamos ela, quando tudo pronto começou a vim gente alugar filme, a locadora era pequena, um mês depois dela aberta um garoto ate bonitinho, quase da minha altura, cabelos pretos liso mas desajeitado, olhos castanhos escuros, corpo legal veio fazer a ficha na locadora e eu estava la, ele quando me viu deu um sorriso tímido pegou uns filmes e me deu o nome dele, Denis, tinha a impressão de conhecer ele, ate ai tudo bem ele foi embora, fiquei com ele na cabeça de onde conhecia ele. Na segunda quando ele veio devolver os filmes, puxei assunto.
Eu: Oi, gostou dos filmes?
Denis: Bom.
Eu: Você sempre morou aqui?
Denis: Foi sim, por que?
Eu: Por que sei rosto e familiar, devo ter te visto quando venho visitar minha avó.
Denis: na verdade acho que, a gente costumava brinca quando éramos criança, você se lembra?
A ficha caiu total, fiquei com vergonha de não ter lembrado logo, dei um sorriso.
Eu: e mesmo, desculpa, não acredito que não lembrei de você.
Denis: tudo bem, quando te vi não reconheci também, fiquei tentando lembra de onde te conhecia, ai lembrei.
Eu: mas me diz, como você ta?
Ficamos conversando sobre vários assuntos, ate chegar outra cliente e ele foi embora mas antes de ir.
Denis: Reserva o filme V de Vingança pra mim, venho pegar amanhã a tarde.
Eu: Reservo sim, pode passar aqui amanhã.
Denis: ta bom, tchau, foi legal te ver.
Eu: digo o mesmo.
Continua...
Galera, por hoje vou para por aqui, amanha eu termino, vou postar a noite, por que amanhã tenho aula o dia todo.
Beijão pessoal!

7 comentários:

  1. Oi, amigo, belezinha?
    Gostei muito do blog... quero saber mais da história... não esconde não, termina...

    ResponderExcluir
  2. Não, não foi três de uma vez... o primeiro eu já conhecia, o segundo era amigo do primeiro, e o terceiro conheci depois quando estava indo embora...

    ResponderExcluir
  3. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

    To morrendo de curiosidade agora!
    Por favor, poste logo.

    ResponderExcluir
  4. É incrivel como essas história de infância sempre se assemelham. Comigo aconteceu de forma parecida e ainda hoje lembro como eram as brincadeiras entre os amigos e os priminhos. Vc talvez tenha dado sorte pois o menino do passado seguiu algo como o que vc escolheu. Resumindo, essas experiencias tem um peso fundamental na persona que vc vai ter ao crescer. É muito bom experimentar. Brigadõ pela visita.

    ResponderExcluir
  5. Meu, que coisa louca! Como assim esse reencontro dessa forma? Ele acabou se tornandos eu primeiro namorado?

    To super curioso!

    ResponderExcluir
  6. Conta pq eu tb fiquei curioso! hehe

    bjs!

    ResponderExcluir